A proposta geral de nosso atendimento é o enfoque no exercício e no esporte de forma continuada. Através do acompanhamento contínuo há a individualização do atendimento, ponto fundamental para atletas, iniciantes no esporte ou se você tem alguma doença. Não há “receita de bolo”. Cada um de nós tem uma resposta ao treinamento, à recuperação desse treino, ao ajuste nutricional, às possíveis medicações que esteja fazendo uso ou sejam necessárias.

Cada paciente é único e assim será seu acompanhamento.

  • Avaliação clínica;
  • Análise de fatores de risco;
  • Avaliação da composição corporal (antropometria): % de massa muscular e gordura;
  • Proposição alvo de composição corporal adequando modalidade esportiva, biotipo e proposta pessoal;
  • Orientação de treinamento guiado pelos parâmetros cardiológicos e metabólicos;
  • Prevenção de lesões ósteo-mio-articulares por orientação biomecânica do movimento esportivo;
  • Acompanhamento da evolução do treinamento, aspectos clínicos e laboratoriais;
  • Ajuste ou introdução de medicações para condições clínicas pré-existentes e/ou suplementação de carências diagnosticadas;
  • Orientação de tratamentos otimizados para a recuperação de lesões ou cirurgias
  • Adequação de hidratação e nutrição para os treinos e competições;
  • Avaliação laboratorial de imagem ou testes funcionais para a complementação da avaliação clínica;
  • Integração com médicos e demais profissionais da saúde que estejam acompanhando o paciente.

Trabalho diferenciado, presencial, do médico durante treinos específicos ou competições. Tem como objetivo realizar a otimização máxima de rendimento, com a observação do desempenho e ajuste de conduta “in loco” ou no período pós treino. Permite a percepção de mecanismos de lesão do gesto esportivo realizado de forma incorreta (análise biomecânica), ajuste fino de hidratação e nutrição e otimização de recuperação (fundamental em treinos ou competições de mais de um dia de duração).

Praticar atividades esportivas faz muito bem, fato. Mas é preciso estar com a saúde em dia mesmo se você já pratica algum esporte. Essa é a tão falada AVALIAÇÃO PRÉ-PARTICIPAÇÃO.

Mas e se você é sedentário e está disposto a modificar horários e hábitos por uma vida mais saudável, quais os próximos passos? Como tornar essa atitude ainda mais saudável e segura? Como incorporar isso à sua vida e fazer com que esse novo passo inunde seu cotidiano em todos os seus aspectos? Prevenindo. A AVALIAÇÃO PRÉ-PARTICIPAÇÃO também é fundamental se você irá iniciar ou retomar uma antiga prática de esporte.

Determinação, resiliência, paciência e sonho: combustíveis que irão impulsionar você no exercício e/ou no esporte.

E por que procurar o médico para avaliá-lo, tão logo seja possível?

Os questionários atualmente usados em academias e grupos de treino, infelizmente não conseguem averiguar as alterações que, principalmente, estão relacionadas à morte súbita. Essas condições apresentam características morfológicas e/ou de cunho genético, sendo na sua maioria encontradas no exame médico minucioso e nos exames complementares. Seja prudente. O atestado médico não é somente um papel, ele é um laudo médico, fruto de uma avaliação clínica e laboratorial que além de avaliar o paciente no momento do exame, investigará as possíveis alterações cardiológicas e de outras origens que possam comprometer sua saúde posteriormente.

A função da Medicina do Esporte é trabalhar dando suporte para que seus planos sejam alcançados em segurança, para que não ocorram alterações clínicas ou ósteo-mio-articulares. Permanecer ativo é crucial e para isso é fundamental prevenir-se. Nosso trabalho é contínuo; ele segue e progride acompanhando sua evolução de treinos. Iniciamos os trabalhos avaliando suas condições clínicas e verificando se há alguma restrição aos exercícios. Caso seja encontrada alguma alteração vamos introduzir o tratamento adequado, ou orientá-lo para o melhor especialista dar seguimento a seu tratamento. Se tudo estiver ok, passamos à fase de orientação multidisciplinar. Nessa etapa integramos os educadores físicos (seus treinadores), nutricionistas, fisioterapeutas e demais especialidades médicas de acordo com sua demanda. Iremos instruí-los na utilização dos diferentes monitores de treinamento e suas funções, além de ensinar sobre as zonas de treinamento, como são compostas e suas funções. Com a evolução de seus objetivos, vamos fazendo os ajustes necessários para maximizar seus resultados e ganhos pessoais. Desejamos que logo você possa se surpreender com suas conquistas.

Serão novos sonhos, novos objetivos, novos amigos. Uma forma diferente de encarar a vida e pautada sempre em sua saúde e segurança. Acreditamos que juntos podemos mais!

Seja bem-vindo aos esportes. Aguardamos você!

Referência bibliográfica sobre o tema:

EXERCISE DOSE IN CLINICAL PRATICE
http://circ.ahajournals.org/content/133/23/2297

ACSMs NEW PARTICIPATION HEALTH SCREENING RECOMMENDATIONS FORM ACSMs GUIDELINES FOR EXERCISE TESTING AND PRESCRIPTION
http://journals.lww.com/acsm-csmr/fulltext/2013/07000/ACSM_s_New_Preparticipation_Health_Screening.4.aspx

homem-meia-idade-faz-exercicio-ao-ar-livre-alongamento-grama-1375283423172_615x300
Exercise-natural-depression-remedy-960x480
exercise-for-depression-anxiety
ca. 2001 --- Rowers Rowing Boat --- Image by © Royalty-Free/Corbis
RunningShoesInLeaves660
starting-exercise-when-overweight

Você se machucou, acidentou-se praticando ou não sua modalidade esportiva. Seja como tenha sido, precisou parar. Tornou-se um sedentário contra sua vontade.

E agora?

Tantos são os medos e os receios. Alguns estavam em processo crescente de treinos para determinada competição, outros mantinham seus treinos somente para manutenção de saúde. Em qualquer uma dessas situações é frustrante, além da tristeza e da dor pertinentes a cada lesão.

Nesse momento o atleta enfrentará sua maior prova de resiliência. Cicatrizar feridas, recuperar movimentos, aprender com a falta de um membro e, em todos os casos, encarar as diferenças do que era para o que atualmente é. Respeitar-se. Esse é o passo principal para reiniciar sem se lesionar física ou psicologicamente.

A Medicina do Esporte tem esse papel de equalizar as forças entre o querer voltar ao esporte e o querer fugir do processo. Trabalhamos o lado psicológico com auxílio de coaching do esporte (quando necessário). Trabalhamos o aspecto físico com o atendimento conjunto da fisioterapia, e o treinamento orientado para equalizar as forças musculares possivelmente desequilibradas.

Nesses períodos de lesão e recuperação, os atletas costumam alterar seus hábitos alimentares, não respeitando suas reduzidas necessidades calóricas, causando ganho ponderal. Com todo esse desequilíbrio o organismo fica sobrecarregado, exigindo um maior cuidado clínico; em alguns casos, com a introdução de medicamentos ou suplementos para que o atleta retorne seu treinamento.

E ainda cabe ao médico, com essa visão integrada, sugerir atividades alternativas, permitindo que o atleta se mantenha ativo em toda sua recuperação, até que retome seu esporte de base, ou mesmo auxiliar o atleta a buscar um novo esporte, quando as lesões assim demandarem.

A resposta a todo esse processo de readaptação pode ser desafiadora e delicada para que não ocorram novas lesões. A orientação integrada trará a progressão apropriada para sua plena recuperação visando o menor tempo para o retorno às atividades competitivas. A nova avaliação cardiopulmonar com estabelecimento de zonas readequadas de treino, é um importante passo para pautar essa evolução ponderada do retorno ao esporte. Os objetivos são seus, nossa função é auxiliá-lo a chegar lá.

Referência bibliográfica sobre o tema:

QUANTITY AND QUALITY OF EXERCISE FOR DEVELOPING AND MAINTAINING CARDIORESPIRATORY, MUSCULOSKELETAL, AND NEUROMOTOR FITNESS IN APPARENTLY HEALTHY ADULTS: GUIDANCE FOR PRESCRIBING EXERCISE
http://www.pgedf.ufpr.br/ACSM%202011%20Quantit%20%20NL%201.pdf

RESPONSE_OF_BONE_TURNOVER_MARKERS_AND_CYTOKINES_TO_HIGH-INTENSITY_LOW-IMPACT_EXERERCISE
https://www.researchgate.net/profile/Panagiota_Klentrou/publication/267933218_Response_of_Bone_Turnover_Markers_and_Cytokines_to_High-Intensity_Low-Impact_Exercise/links/551ac2800cf251c35b4f48fc.pdf

Independente do grupo em que você se encontra, gostaríamos que você soubesse que seu treinamento precisa, sim, ser muito cuidadoso e acompanhado de perto para que toda a progressão seja natural e para que cada conquista seja comemorada intensamente. Nosso trabalho fundamental com você é de instrução para que volte a se cuidar e adotar novas rotinas.

SEDENTÁRIO

Finalmente a comunidade médica tem destacado o rápido e acumulativo efeito negativo do sedentarismo no corpo humano. Com tantos elevadores, escadas rolantes, controles remotos, carros, computadores e tantas outras invenções, o homem, passou a ficar mais e mais horas sentado e cada vez mais inativo. Pensar em se mover já cansa, diriam alguns.

Todo esse processo é muito sério. É preciso indagar:

Quais as consequências para mim?

Osteoporose, dor lombar e cervical, doenças do coração, fraqueza, letargia, hipovitaminoses, perda cognitiva, cansaço crônico, aumento de peso, menor longevidade e por aí vai.

Como sair dessa estagnação? Como conseguir mudar nossos hábitos?

Primeiro: a vontade tem que estar em nós. O primeiro passo é nosso! Amigos, familiares e toda a equipe de saúde estarão ao seu lado para motivá-lo e ajudá-lo a manter seu ritmo. Alguns dias negativos virão. Pensamentos como “não quero mais”; “hoje preciso fazer algumas coisas”; e “vou ficar aqui na cama” irão surgir. Nesses dias, além de sua “equipe de suporte”, você precisará resgatar a convicção de que sua saúde está em primeiro lugar! Somente quando a certeza está em nós, iremos recorrer ao apoio. Precisamos no dia a dia lembrar desse objetivo: VIVER MAIS E MELHOR.

Nosso trabalho na Medicina do Exercício é mantê-lo focado nesse pensamento, orientá-lo e acompanhá-lo em cada momento de sua evolução, respeitando suas características pessoais. Estabelecer suas zonas de treinamento de acordo com sua sensação de esforço, e pareá-las aos resultados de exames complementares, trará mais segurança para os seus treinos. A individualização dos cuidados com a saúde, com os treinos, com a nutrição e com a suplementação é o diferencial para fazer você se apaixonar pelo esporte e nunca mais se desligar dele.

Vamos tentar?

Referência bibliográfica sobre o tema:

EXERCISE CAPACITY AND MORTALITY AMONG MEN REFERRED FOR EXERCISE TESTING
http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa011858

ENCOURAGING YOUNG WOMEN TO MOVE MORE
http://circ.ahajournals.org.sci-hub.cc/lookup/doi/10.1161/CIRCULATIONAHA.116.023400

2467519466_3dbf8bda68_z
exercicios
office_sitting

Independente do grupo em que você se encontre, gostaríamos que você soubesse que seu treinamento precisa, sim, ser muito cuidadoso e acompanhado de perto para que toda a progressão seja natural e que cada conquista seja comemorada intensamente. Nosso trabalho fundamental com você é de instrução para que volte a se cuidar e adotar novas rotinas.

SOBREPESO

Estar acima do peso e praticar atividade física é um grande esforço.
Normalmente as roupas de ginástica e uniformes já funcionam como empecilho, não cabendo ou ficando desconfortáveis. Somam-se a isso as propagandas e redes sociais com belos modelos e corpos perfeitos.

O que fazer em meio a esse cenário?

1 – Trancar-se em casa?
2 – Ficar cada vez mais sedentário?
3 – Comer mais?
4 – TOMAR UMA ATITUDE E SAIR PARA SE CUIDAR?

Romper um ciclo vícios requer força. O primeiro passo sempre será seu!

Nossa proposta de trabalho com pessoas com sobrepeso e obesos é a abordagem médica de seu caso, saindo dos modismos das revistas e das redes sociais que muitas vezes, podem comprometer sua saúde e seu corpo. Trabalhamos fazendo um diagnóstico do fator causador de sua obesidade, se há uma causa clínica ou somente excesso de alimentação. Trataremos o que for preciso e simultaneamente iniciaremos seu “Plano de Ação”, verificando com sua ajuda o melhor exercício para o seu perfil. Avaliaremos corretamente a função de seus órgãos e realizaremos alguns exames complementares de acordo com a sua necessidade. O teste de esforço ou o teste cardiopulmonar de exercício serão fundamentais para avaliar seu coração, e fornecerá a base de dados para programarmos suas zonas alvo de treinamento.

A escolha dos exercícios para pacientes com sobrepeso é crucial para que não ocorram lesões articulares, fator muito comum de afastamento precoce desses pacientes dos treinos. Somente com o trabalho individualizado e contínuo podemos dar esse suporte a você. O exercício não é somente um meio de emagrecer, é um presente que nos damos diariamente, por nossa saúde e bem-estar.

Em conjunto com os exercícios entra um aliado crucial: a nutrição. Estar bem alimentado nessa nova fase é importantíssimo. Entenda que estar bem alimentado significa: nutrientes adequados, porções ajustadas para o seu treino. Nesse processo, o(a) nutricionista será grande aliado(a).

O processo de modificar a rotina, a nutrição, sua visão corporal e forma de pensar, aliado ao implemento de exercícios físicos regulares, deve ser conduzido por um profissional especializado. Estamos aqui para conduzir essa progressão com o suporte da ciência.

Com a progressiva redução do peso, os exercícios ficarão mais fáceis, você se perceberá mais disposto e certamente esse cuidado com sua vida se tornará o seu cotidiano. Vamos começar essa transformação?

Referência bibliográfica sobre o tema:

EFFECTS OF SUBSTITUTING SEDENTERY BEHAIVIOR WITH LIGHT AND MODERATE-TO VIGOROUS PHYSICAL ACTIVITY ON OBESITY
http://circ.ahajournals.org/content/135/Suppl_1/AMP026

AMERICAN COLLEGE OS SPORTS MEDICINE POSITION STAND. APPROPRIATE ACTICITY INTERVENTION STRATEGIES FOR WEIGHT LOSS AND PREVENTION OF WEIGHT REGAIN FOR ADULTS
http://europepmc.org/abstract/med/19127177

[ File # csp8492251, License # 2929622 ]
Licensed through http://www.canstockphoto.com in accordance with the End User License Agreement (http://www.canstockphoto.com/legal.php)
(c) Can Stock Photo Inc. / krasyuk
56383060
AB20
Junk-foods-24

Independente do grupo em que você se encontre, gostaríamos que você soubesse que seu treinamento precisa, sim, ser muito cuidadoso e acompanhado de perto para que toda a progressão seja natural e que cada conquista seja comemorada intensamente. Nosso trabalho fundamental com você é de instrução para que volte a se cuidar e adotar novas rotinas.

IDOSOS

No Brasil classificam-se como idosos os cidadãos maiores de 65 anos. Envelhecer é algo natural. Todavia, nossos costumes durante a vida jovem, problemas de saúde e problemas pessoais respondem diretamente por transformações que podem antecipar ou postergar o que corriqueiramente chama-se velhice. Definitivamente é um grupo que merece mais do que atenção.

O idoso precisa se exercitar. A idade não é e nem pode ser um limitador. A família e os amigos nesse contexto são um importante alicerce.

A cada ano de nossas vidas, principalmente após a terceira década de vida, o corpo passa por um processo mais acelerado de envelhecimento e perda. Sim, desde a vida jovem deveríamos nos cuidar para chegar bem à idade avançada. E como combater esse processo se o negligenciamos? Estudando todos os dias. Mantendo a mente sempre com o brilho do “Por que?”. Exercitando-se. Porque a integração do corpo físico e da mente é cada dia mais evidente, além de trazer-nos o vigor para fazer-nos buscar sempre nossos objetivos. Resumindo: mantendo-se ativo!

Porém, com o envelhecimento, progressivamente acontece perda da força física e da vontade de agir. Há diminuição das atividades cotidianas, alimenta-se mal (por falta dos dentes ou por estar desmotivado), lê-se menos, estuda-se menos (com a vista cansada) e, progressivamente, o vigor vai se atenuando. Podem surgir o desequilíbrio motor (aumentando o risco de quedas) e a lentificação da marcha. Há a sensação de estar atrapalhando os mais jovens. Os esquecimentos frequentes fazem com que se fale menos para que os demais não percebam. Esse conjunto de situações nos conduz ao raciocínio que hoje se faz em relação aos idosos.

Como falamos antes: A HISTÓRIA PODE SER DIFERENTE, COMEÇANDO AGORA!

A Medicina do Exercício não é mais um médico na vida do idoso, é uma aliada para um envelhecimento saudável e pela recuperação de sua integridade e vontade de viver mais e melhor. Prezamos pela saúde global, trabalhamos com a integração com as outras áreas da medicina e da saúde. Nosso trabalho com a população idosa é, principalmente, resgatar o desejo por ser mais ativa e mais integrada. Aumentar progressivamente suas atividades, ajustando possíveis doenças de base ou limitações físicas aos exercícios. Investigar, nos que não possuem acompanhamento de outros médicos, possíveis condições clínicas desconhecidas que possam estar presentes. A nutrição e a suplementação nesse grupo são cruciais para repor as possíveis carências nutricionais (majoritariamente presentes).

Nosso alvo: melhorar a mobilidade do idoso com segurança, melhorar seu humor, estimular o estudo, apoiado não só pela saúde física, mas também pela saúde mental. Esses são ganhos evidentes mesmo em idosos frágeis.

E os idosos ativos ou até os atletas, como podemos ajudar? Da mesma forma que ajudamos os mais jovens com esses perfis. Nosso trabalho é garantir sua integridade física, acompanhar continuamente sua condição clínica, tratar carências que possam aparecer, evitar as lesões ósteo-mio-articulares e impulsionar esse atleta a sonhos cada vez mais ousados, com segurança. Os campeonatos esportivos com idosos estão aí para nos mostrar tempos surpreendentes, com histórias incríveis (iniciadas na infância ou já com idade avançada) e uma certeza única: de que são capazes de se superarem a cada dia.

Estamos aqui para ajudá-lo(a) a viver mais e intensamente essa idade repleta de conhecimento. Estar saudável e feliz não tem idade, basta querer.

Referência bibliográfica sobre o tema:

PHYSICAL ACTIVITY AND PUBLIC HEALTH IN OLDER ADULTS. RECOMMENDATIONS FROM THE ACSM AND AHA
http://circ.ahajournals.org/content/early/2007/08/01/CIRCULATIONAHA.107.185650.short

EFFECT OF AEROBIC TRAINING ON EEG ALPHA ASYMMETRY AND DEPRESSIVE SYMPTOMS IN THE ELEDERY: 1 YEAR FOLLOW UP STUDY
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-879X2010000600010&script=sci_arttext&tlng=pt

EXERCÍCIO FÍSICO E SAÚDE EM PESSOAS IDOSAS: QUAL A RELAÇÃO?
http://www.uesb.br/revista/rsc/ojs/index.php/rsc/article/view/45/110

82
Exercise-Benefits-for-Sedentary-Elderly
Senior woman is getting ready jogging round the tarn in beautiful mountains, hills and hotel in background
getty_rf_photo_of_people_walking_in_water
oitentao se exercitando
The 86-year-old Johanna Quaas, the oldest active gymnast in the world according to ??the Guinness Book of World Records, attends a weekly exercises on uneven bars on November 6,  2012 in her hometown Halle, center Germany. The gymnast who celebrates her 87 birthday on November 20 still takes part in competitions. AFP PHOTO/ Waltraud Grubitzsch/GERMANY OUT        (Photo credit should read WALTRAUD GRUBITZSCH/AFP/Getty Images)

Nosso trabalho nesse grupo vem sendo desenvolvido com foco nas atividades aeróbias (natação, ciclismo, corrida e triathlon por exemplo), abrangendo desde provas curtas, às cobiçadas distâncias tipo Ironman®, e as de ultra endurance. Independentemente se o seu objetivo é treinar, competir ou ganhar uma competição. Essas são atividades que demandam muito do organismo. Como nosso objetivo é mantê-lo sempre treinando e competindo, sem lesões ou infecções indesejadas, o cuidado continuado, com feedback regular, permitirá essa maior efetividade de nosso trabalho. Desejamos construir com vocês.

ATLETAS AMADORES

Treinar todos os dias, trabalhar, descansar, ajustar a alimentação, modificar destinos de viagem, cuidar da família, mudar os programas com amigos, novos amigos, enfim, adotar um novo estilo de vida por nossa livre escolha. Se você se reconhece nessa definição, você é um Atleta Amador. E é preciso conscientizar que exigimos de nosso corpo, algumas vezes, até mais do que alguns atletas profissionais: porque além dos treinos temos nosso ofício que sustenta os nossos objetivos esportivos.

Tal qual um atleta profissional, o objetivo do atleta amador é sempre se desafiar, se superar. Saborear o gosto dessa superação a cada treino e algumas vezes encarar a estagnação ou o retrocesso na evolução dentro da modalidade. Como o objetivo é receber uma medalha, buscar uma boa colocação ou mesmo o pódio, qualquer barreira que o impeça de chegar ao seu sonho deve ser avaliado, tratado e eliminado o mais breve possível. Conheço o bem-estar oriundo dessas conquistas para nós amadores, e desejo que todos possam vivenciá-las pelo maior tempo possível. Nosso intuito é fazer a ciência trabalhar a seu favor.

Por que um atleta amador deve procurar um médico do esporte?

Para realizar sua avaliação pré-participação. Ela é a sua segurança no que tange minimizar riscos cardíacos tanto em treinos quanto em provas. Além disso, é feito o trabalho de prevenção de lesões ósteo-mio-articulares e de sobrecarga de treinamento. Prevenir é sempre melhor que remediar. No atendimento iremos avaliar seu organismo de forma global e traçar o melhor plano para impulsioná-lo de forma saudável a alcançar seus objetivos.

Quando há estagnação no rendimento dos treinos ou mesmo piora, o médico do esporte pode ajudar?

Nesse momento a Medicina do Esporte entra como importante aliada na investigação das possíveis causas, como: carências nutricionais, privação de sono, modificações nos limiares de treino, infecções, alterações posturais, dores subjugadas, excesso de treinamento ou aparecimento de alguma doença. Esses diagnósticos são feitos pelo médico em associação com o nutricionista, treinador (educador físico) ou fisioterapeuta de acordo com cada caso específico, havendo, algumas vezes, a necessidade de exames complementares para essa avaliação. Diagnóstico feito, será traçado um plano de recuperação e retorno aos treinos o mais breve possível, respeitando seus limites, evitando que novos, ou velhos, motivos se interponham em sua progressão.

Quando o atleta segue em um período de excelente treinamento e deseja melhorar sua performance, a Medicina do Esporte atua para maximizar a sua segurança e, longe de fatores classificados como doping, auxiliá-lo nesse projeto. São alguns ajustes de treino baseados em seu resultado de teste cardiopulmonar de exercício, na sua necessidade pessoal de recuperação pós-estímulo, ajustes nutricionais gerais e específicos durante treinamento, adequação de sua composição corporal para melhor rendimento em cada modalidade, introdução de suplementação ou programação da temporada competitiva que podem fazer toda a diferença em seu rendimento.

Referência bibliográfica sobre o tema:

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATIONS FOR COMPETITIVE ATHLETS WITH CATDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e267

BETHESDA CONFERENCE #36 AND THE EUROPEAN SOCIETY OS CARDIOLOGY CONSENSUS RECOMENDATIONS REVISED
http://www.onlinejacc.org/content/52/24/1990

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATION RECOMMENDATIONS FOR COMPETITIVE ATHETS WITH CARDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e273.short

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATION RECOMMENDATIONS FOR COMPETITIVE ATHLETS WITH CARDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e326.short

ELITE / MASTER / PROFISSIONAIS

O que esses atletas têm em comum? Em diferentes proporções eles têm algum ganho financeiro através do esporte. Essa consideração é de significativa importância pois pode levar o atleta a priorizar o rendimento e performance em cada treino e cada competição em detrimento de outros fatores, como em alguns casos, até a própria saúde.

Mas esses atletas são, antes de tudo, pessoas, que podem ter questões de saúde a resolver ou mesmo questões pessoais e, o mais comum no Brasil, questões financeiras. Isso traz a primeira preocupação da Medicina do Esporte que é a saúde do atleta, seu bem-estar físico-psico-social. Assim, mesmo o atleta sendo praticante de esportes há muitos anos, é fundamental que o médico faça a avaliação clínica (exame médico e complementares) dos atletas de forma integral ao iniciar seu acompanhamento.

Atualmente, os suplementos alimentares são “moda” e parecem substituir as prescrições médico-nutricionais. Os atletas, profissionais e amadores, precisam estar atentos a esse fácil acesso aos suplementos, pois, alguns contêm substâncias presentes na listagem de controles anti-dopagem. Todos os atletas federados, ou mesmo os não federados, que participam de competições onde há o aviso de controle de dopagem, podem, sem prévio aviso, ser testados para substâncias proibidas. Caso você se negue a fornecer o material para o estudo, ou caso o resultado da análise do material seja positivo, você será afastado por até quatro anos da prática desportiva. Certamente nãos é isso o que você deseja.

Se você é um atleta profissional há ainda um maior comprometimento com essas informações, visto que é mandatório o preenchimento de um diário constando horários de treino, contato de treinadores, médicos e todos os envolvidos com seu treinamento. Uma vez que esse diário tenha incongruência com sua rotina ou se ocorrerem duas falhas seguidas em sua localização, você já pode receber sanções.

Ser atleta profissional é isso: construir sua vida em função do esporte. A Medicina do Esporte irá além de cuidar de sua saúde física buscando sua máxima performance. Irá cuidar de suas possíveis medicações e suplementações, garantindo que não entrem em conflito com as diretrizes e normas do controle de dopagem brasileiro e internacional ajustadas para sua modalidade esportiva.

Nosso trabalho de equipe multidisciplinar visa, juntamente com os mais modernos meios de diagnóstico e treinamento, auxiliar seu ganho de performance e redução de lesões por esforço repetitivo ou falha biomecânica. Para a evolução consistente de um atleta de elite, profissional olímpico ou paralímpico, esse suporte é o diferencial para sua evolução sem danos à saúde. Ser atleta de alto rendimento não obrigatoriamente é sinônimo de saúde. Forçar o corpo além dos limites conhecidos é sempre algo receoso, mas as medalhas estão aí e os riscos precisam ser corridos. Nosso papel é minimizar ao máximo esse caos. O Brasil precisa de novos medalhistas, novos ídolos. Para isso é necessário investimento nesses atletas em potencial, e nós estamos aqui para ajudar.

Referência bibliográfica sobre o tema:

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATIONS FOR COMPETITIVE ATHLETS WITH CATDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e267

BETHESDA CONFERENCE #36 AND THE EUROPEAN SOCIETY OS CARDIOLOGY CONSENSUS RECOMENDATIONS REVISED
http://www.onlinejacc.org/content/52/24/1990

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATION RECOMMENDATIONS FOR COMPETITIVE ATHETS WITH CARDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e273.short

ELIGIBILLITY AND DISQUALIFICATION RECOMMENDATIONS FOR COMPETITIVE ATHLETS WITH CARDIOVASCULAR ABNORMALITIES
http://circ.ahajournals.org/content/132/22/e326.short

19_MHG_jogos-militar
576_1361966164emiliadelhoyo866
19706651173_d9ea9dbb57_o
c26573c762f4e6431b3eedeab32e6666
BESTPIX CHOLET, FRANCE - JULY 03:  Maxime Bouet of France leads the AG2R La Mondiale team during Stage 2 of the 2011 Tour de France 23km Team time trial from Les Essarts-Les Essarts on July 3, 2011 in Cholet, France.  (Photo by Michael Steele/Getty Images) *** BESTPIX ***
IMG_6808
LA-RIBERA-Carla-Castillo-y-Teresa-Guerrero-1000-m.l.
25c3a05de01b4da1af6af3d91bbe075d
IMG_6092
Índice
maratona-Gijón-640x480-EFE

“Deu positivo. E agora o que eu faço?”

Possivelmente esse é o primeiro pensamento de todas as mulheres que confirmam sua gravidez.

Estar grávida é um momento singular de transformação. Tão singular que uma mesma mãe nunca terá duas gestações iguais. As mudanças acontecem tanto em seus corpos como em seus pensamentos e sentimentos.

Justamente nesse momento de dúvidas e incertezas, sabemos que orientações especializadas auxiliam muito nesse mágico período.

Chegar ao fim da gestação com excelente condicionamento e disposição não é fácil. Com a evolução dos meses, o aumento do volume abdominal altera o equilíbrio da mulher e sua respiração, interferindo em sua marcha, causando cansaço frequente e noites de sono mal dormidas. Fora isso, ainda ocorre um aumento de frequência cardíaca e alterações de pressão que desde o início podem causar mal-estar, enjôos e vômitos.

Através do trabalho conjunto com seu ginecologista, será possível traçar os melhores planos de treino e nutricionais, mantendo a saúde de seu bebê e a sua sempre em primeiro plano. Auxiliar a controlar seu ganho ponderal, manter sua capacidade cardiopulmonar, ou até aprimorá-la, estimular sua flexibilidade e ajustar sua respiração serão objetivos que tornarão seu parto mais tranquilo e seu pós-parto mais dinâmico.

Se o esporte já fazia parte de seu cotidiano, iremos orientar sobre os ajustes necessários em cada fase da gestação. Se, por outro lado, você tinha uma vida sedentária, seu treinamento precisa, ainda mais, ter orientação médica para que não haja impacto no desenvolvimento fetal.

A Medicina do Esporte está focada no trabalho de prevenção e bem-estar. Além disso, é importante entender que a gestação não é uma doença e sim um estado de grandes alterações do corpo feminino. Por fim, vale considerar que horas antes da notícia “positivo” você estava mantendo sua rotina normalmente. Esse resultado não vem para anular seu comportamento, mas sim para repensá-lo para melhor. E nós estamos aqui para ajudá-la nesse incrível momento, auxiliando para que você se mantenha ativa e chegue radiante e saudável ao dia do parto.

Referência bibliográfica sobre o tema:

A PROGRAM OF EXERCISE THROUGHOUT PREGNANCY. IS IT SAFE TO MOTHER AND NEW BORN?
http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.4278/ajhp.130131-QUAN-56

PREGNANCY AND EXERCISE GUIDELINES: FIFTY YEARS MAKES A DIFFERENCE
http://journals.lww.com/acsm-healthfitness/Citation/2016/03000/Pregnancy_and_Exercise_Guidelines__Fifty_Years.4.aspx

fit-during-pregnancy-05-pg-full
getty_rm_photo_of_pregnant_woman_in_pool
personal-gestante
Pregnancy-Workout
Beautiful pregnant woman practicing yoga on white background

Essas doenças não obrigatoriamente se apresentam no mesmo paciente, mas juntas são a principal causa mortis de origem não traumática no mundo. Precisamos nos dedicar a frear esse processo, principalmente em nossas vidas.

A ciência é categórica em apoiar a prática de exercícios físicos como tratamento auxiliar ao medicamentoso nessas doenças, podendo inclusive, em alguns casos, induzir a diminuição da dose de algumas medicações. O melhor de tudo é a certeza de que melhorar o condicionamento físico impacta na nossa longevidade.

Nos pacientes com hipertensão e dislipidemia a consulta com o médico do esporte, permite a avaliação clínica dos órgãos que costumam sofrer com essas doenças, podendo assim avaliar qual o melhor exercício a ser realizado pelo paciente e em qual dose (o exercício precisar ser aplicado na medida certa). Nessa avaliação iremos verificar hábitos alimentares e orientar melhor acerto nesse tópico.

A hipertensão e a dislipidemia são doenças muito prevalentes em nossa população. Podem ser, principalmente, de características genéticas, mas normalmente é a junção da genética com hábitos de vida ruins (alimentares, estresse e sedentarismo) que as tem tornado endêmicas. Seu diagnóstico tardio, infelizmente, as tem tornado doenças graves, mas não precisa ser assim. Nosso trabalho é diagnosticá-las precocemente e desenvolver um plano de tratamento contínuo, com enfoque em modificações dos hábitos diários e medicações (quando necessário), que irão auxiliá-lo a ter uma vida plena com essa doença, vivendo mais e melhor.

Referência bibliográfica sobre o tema:

EVIDENCE FOR EXERCISE TRAINING IN THE MANAGEMENT OF HYPERTENSION IN ADULTS
https://pdfs.semanticscholar.org/02d8/cb5dddbd0404e37aa32626725bbc59e8b890.pdf

TRATAMENTO DAS LISLIPIDEMIAS COM ESTATINAS E EXERCÍCIOS FÍSICOS: EVIDÊNCIAS RECENTES DAS RESPOSTAS MUSCULARES
http://www.scielo.br/pdf/abc/2015nahead/pt_0066-782X-abc-20150005.pdf

hipertensão vaso 2
hiper1
Exercisehearthealth
exercicio_hipertensao
exercicio

Nos pacientes com Doença Coronariana (DAC), com ou sem infarto, o exercício físico é realmente parte do tratamento. Como o exercício implica em aumento de pressão e frequência cardíaca, o paciente com DAC precisa de cautela para executá-los. Preferencialmente, deve iniciar o treinamento em esquema de reabilitação, ou seja, supervisionado por médico. O paciente pode até receber alta dos treinamentos com supervisão direta, mas isso é na evolução e não no início. Segurança em primeiro lugar!

Para trabalhar com segurança nessa área é imprescindível realizarmos os testes cardiológicos complementares, principalmente o teste cardiopulmonar de exercício, para avaliarmos conjuntamente o trabalho de seu coração e pulmão nas diferentes intensidades de treinamento, bem como o comportamento de sua pressão arterial. Esse teste, mais do que o teste de esforço convencional, permite ao médico do exercício, que irá programar sua reabilitação, executá-la de forma mais refinada.

A reabilitação cardíaca tem como alvo primário a autonomia do paciente para suas funções diárias. Conforme o seu comprometimento cardíaco, iremos orientá-lo na retomada de suas atividades físicas, ou no início de novas práticas esportivas. O objetivo será colocado por você e nosso trabalho será capacitá-lo para tal, com sua integral ajuda. Esse atendimento será conjugado com seu cardiologista, treinador e nutricionista. O médico do esporte trabalha como regente dessa obra em prol de sua saúde.

Referência bibliográfica sobre o tema:

EXERCISE-BASED CARDIAC REHABILITATION FOR CORONARY HEART DISEASE: COCHRANE SYSTEMATIC REVIEW AND META-ANALYSIS
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0735109715071193

EXERCISE TRAINING IN PATIENTS WITH HEART DIESEASE: REVIEW OF BENEFICIAL EFFECTS AND CLINICAL RECOMMENDATIONS
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0033062014001637?np=y&npKey=3490b9d4760104bd181bafacd770ea34d2cf9d0290c73a43c2fbffc60d1c2fdc

PRIORITIZING FUNCTIONAL CAPACITY AS A PRINCIPAL END POINT FOR THERAPIES ORIENTED TO OLDER ADULTS WITH CARDIOVASCULAR DISEASE
http://circ.ahajournals.org/content/early/2017/03/23/CIR.0000000000000483

Exercisehearthealth
cardiac rehab 2
511045bd606e73600ff9101ede9e0a41_XL
88c9db60db08f693776a4a523f26de7b_XL

Detectado na infância, ou descoberto posteriormente, apresentar o açúcar alto no sangue (hiperglicemia) é um “fantasma” silencioso. A conhecida diabetes. O paciente convive com a certeza de que qualquer erro alimentar cometido não estará atingindo somente seu corpo, mas, principalmente, desregulando o controle da sua doença.

A cada dia, mais estudos comprovam os efeitos positivos do exercício sobre nosso corpo. Quando o ponto é o controle da glicemia isso é ainda mais importante. Praticar exercícios ou esportes, tendo diabetes ou pré-diabetes, irá requerer de você alguns importantes ajustes de alimentação, hidratação, cuidados com os pés (principalmente) e com sua dose de medicação, evitando tanto picos de glicemia como a temida hipoglicemia. E para isso estamos aqui ao seu lado, dando a orientação e todo o suporte necessário para que você siga em segurança. O médico do esporte trabalha em conjunto com educadores físicos, psicólogos, nutricionistas e endocrinologistas no tratamento da diabetes.

Ter uma doença não significa o fim. Diagnosticar é o primeiro passo, mas aceitar é a nossa primordial decisão. Uma vez aceita, não há o porquê de nos vitimarmos e ficarmos sentados aguardando que alguém faça algo de bom por nós. Tomar decisões positivas é nosso cuidado pessoal. Você não precisa “ser uma doença”. O que você precisa é buscar uma vida plena com sua doença, e isso deve ser para já!

Referência bibliográfica sobre o tema:

PHYSICAL ACTIVITY EXERCISE AND DIABETES: A POSITION STATEMENT OF ADA
http://care.diabetesjournals.org/content/39/11/2065

ASSOCIATION BETWEEN THE PHYSICAL ACTIVITY LEVEL AND QUALITY OF LIFE OF PATIENTS WITH TYPE 2 DIABETES MELLITUS
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26957746

SELF-AND PARENT-REPORTED EXECUTIVE PROBLEMS IN ADOLESCENTS WITH TYPE 1 DIABETES ARE ASSOCIATED WITH POOR METABOLIC CONTROL AND LOW PHYSICAL ACTIVITY
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/pedi.12520/abstract;jsessionid=88F859911C3691E5986CC6170B8B4715.f02t04

food-stamps-junk-food-snap
diabetes-e-exercicio-300x268
diabetes-e-exercicio
diabetes-3

Esse diagnóstico temido e incerto causa pavor e negação no momento de sua suspeita ou confirmação. Mesmo com o grande avanço em tratamentos e também com exames mais precoces, o medo é assolador. A negação da doença talvez seja um dos fatores mais comprometedores para sua evolução. Por isso, queremos destacar boas informações que a ciência traz.

Para a medicina do esporte, além do funcionamento do corpo, impactam muito o conjunto de sentimentos e dos fatores motivacionais. Ter o paciente determinado, feliz, realizado, engajado, é de máxima importância para que todas as orientações de tratamento sejam efetuadas.

Não se trata de uma especialidade de remédios incríveis, nela você será orientado a ser o seu próprio remédio. Afinal, se você não quiser se exercitar, não conseguiremos nem começar.

A Medicina do Exercício cura o câncer? Não, ainda não chegamos nesse ponto, mas interfere positivamente de forma marcante na recuperação pós- tratamento clínico e/ou cirúrgico e na diminuição dos acontecimentos de metástases.
Essa última informação é tão importante para todos os pacientes com câncer que deveríamos colocar em suas prescrições, já no consultório do oncologista, o exercício.

Sabemos que existe um número expressivo de tipos distintos de câncer. Dessa forma, cada um irá responder de forma diferente a cada tipo de terapia. E é exatamente por isso colocamos a seguinte questão:

Você quer estar bem, na sua melhor forma, para passar por possíveis dificuldades e estar apto a combatê-las de forma plena? É claro que sim! Para isso acontecer é necessário iniciar os cuidados o quanto antes.

Nossa proposta é de saúde e bem-estar, se você desejar ser um atleta isso também poderá ser possível, mas só a progressão dos dias dirá. Temos alguns exemplos famosos de atletas que tiveram câncer e voltaram a competir até no âmbito profissional. Por exemplo: Jake Gibb (USA), 40 anos – volêi de praia nas olimpíadas de 2016 e Rosinha Santos (BRA), 44 anos – arremesso de peso, paralimpíada de 2016. Nosso objetivo é que você se distraia, viva mais plenamente, mantenha seu corpo em atividade e, assim, seu condicionamento cardiopulmonar. Ter corpo e mente saudáveis o auxiliará em momentos difíceis como uma cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

Referência bibliográfica sobre o tema:

PHYSICAL ACTIVITY AND CANCER OUTCOMES: A PRECISION MEDICINE APPROACH
http://clincancerres.aacrjournals.org/content/22/19/4766

ASSOCIATION BETWEEN PHYSICAL ACTIVITY AND MORTALITY AMONG BREAST CANCER AND COLORETAL CANCER SURVIVORS
https://academic.oup.com/annonc/article/25/7/1293/2801181/Association-between-physical-activity-and

SUPERVISED EXERCISE REDUCES CANCER-RELATED FATIGUE: A SYSTEMATIC REVIEW
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S183695531400157X

Style: "p45basic"
Exercise-a-Key-to-Emotional-and-Physical-Recovery-
blake-2
am_161122_cancer_patient_child_exercise_800x600

Quem tem depressão muitas vezes não pensa em se cuidar, exercita-se é quase que raro. Mas é exatamente contra isso que é preciso lutar. A ciência preconiza o exercício físico para auxiliar no tratamento dessa doença e também dos estados depressivos. Ele pode ser o passaporte para respirar um pouco de ar fresco, e voltar a se relacionar.

Em alguns casos o uso concomitante de medicações será necessário, que irá requerer o trabalho conjunto do médico que já faz o seu acompanhamento, junto com o nosso atendimento na medicina esportiva.

Precisamos que você dê o primeiro passo, que procure auxílio e abrace essa nova fase. Estamos aqui para ajudá-lo nesse momento e certamente nos momentos de conquista que se seguirão.

Nosso atendimento conta com a avaliação do funcionamento de seu organismo para excluir os motivos clínicos de depressão. Após essa fase, poderemos passar para a fase de orientação de treinos, ajuste nutricional e psicológico, integrados com os profissionais envolvidos.

O esporte é um dos melhores e o mais saudável meio de sair da depressão. Vamos tentar?

Referência bibliográfica sobre o tema:

PHYSICAL EXERCISE AND CLINICALLY DEPRESSED PATIENTS: A SYSTEMATIC REVIEW AND META-ANALYSIS
http://www.karger.com/Article/Abstract/345160

EFFECTS OS PHYSICAL EXERCISE ON DEPRESSIVE SYMPTOMS AND BIOMARKERS IN DEPRESSION
http://www.ingentaconnect.com/content/ben/cnsnddt/2014/00000013/00000010/art00004

shutterstock_113875279-900x597
exercicio e cerebro
2467519466_3dbf8bda68_z

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?